10 dicas para os agentes de viagens no pós-pandemia

1 – Reserve com antecedência.
A retomada virá. Isso é um fato. Basta ver como a vacinação nos Estados Unidos e na Inglaterra, além de outros países da Europa, já está aumentando as viagens domésticas, a realização de eventos para vacinados e diversos nichos, do bem-estar à reconexão com a natureza. A oferta de empresas aéreas e outros fornecedores voltará aos poucos e espera-se uma demanda reprimida muito forte pressionando preços e reservas. Portanto, aconselhe seu cliente a reservar com o máximo de antecedência. Das viagens domésticas às internacionais (mais fortes em 2022), dos cruzeiros à Copa do Mundo de 2022, as viagens ganharão um boom e seu cliente pode encontrar dificuldades se deixar para a última hora.

2 – Reserve, mas fique de olho.
Como um bom profissional, acompanhe as notícias de saúde e reabertura no Brasil e no mundo, os protocolos exigidos e as regras de remarcação com os fornecedores. E, claro, daqui para frente, não há viagem sem a venda de um seguro-viagem, certo?

3 – Valorize e coloque valor no seu trabalho.
Cobre pelo seu serviço. O consumidor sabe que a assistência de um profissional é essencial, então seja transparente e mostre o que está cobrando por essa ajuda técnica antes, durante e depois da viagem. Estar à disposição para todos os momentos do planejamento e realização da viagem tem um preço e seu cliente vai apreciar isso.

4 – Não lute contra a multicanalidade.
A venda direta e a busca do agente de viagens, no momento, são as modalidades de compra que mais dão segurança ao consumidor. Mas não se iluda, há mais canais e mais concorrência. E ter concorrência é normal. Cabe a você, em parceria com fornecedores, fidelizar seu cliente. Para entender, basta comparar com os seus hábitos de consumo: você compra água mineral, por exemplo, no supermercado, quando faz as compras do mês, mas também na padaria, na loja especializada em água mineral, no mercadinho perto de casa, no posto de gasolina, no aeroporto e até na farmácia. Algum deles pode te acusar de traição? O consumidor compra na hora em que quiser, onde estiver e como for mais fácil para aquele momento. O agente de viagens tem de estar em vários canais e meios de comunicação e estar ao lado do cliente nos bons momentos e nos mais difíceis, com fez na pandemia. E se ele entrar com uma passagem comprada com milhas ou com o preço que viu na propaganda de uma OTA, respire fundo, atenda seu cliente da melhor forma e defenda o seu trabalho.

5 – Busque fornecedores parceiros.
Respeitar a multicanalidade não significa que você tem de aceitar jogadas desleais, como fornecedores querendo atravessar a sua venda ou conquistar seu passageiro com condições exclusivas. Busque relações transparentes e de ganha-ganha com seu fornecedor. Ele tem todo o direito de ter promoções para o público final, de também buscar todos os canais. Mas não pode tornar um desses canais pouco competitivo. Se assim o fizer, você tem todo o direito de não ser mais parceiro desse consumidor e de ser claro com seu cliente. Obviamente, você deve vender o que o cliente quer, mas dentro do pacote de produtos e serviços, a sua expertise e indicações têm grande peso. Recentemente, para darmos um exemplo, a Accor passou a comissionar as tarifas dedicadas aos membros de seu programa de fidelidade, o ALL. Mostre aos demais fornecedores o exemplo e veja quem quer estar ao seu lado. Quem não quiser, poderá ter êxito, como alguns hotéis já o fazem, e está tudo bem. Você encontrará os fornecedores que te valorizam. Lembrando que a Terra é redonda e é muito difícil um fornecedor ter sucesso 100% do tempo apenas priorizando um canal de vendas, o seu direto.

6 – Venda o que você não vendia. Ou achava que não podia vender.
Ah, a Magalu agora vende viagens? O Rappi vende passagens aéreas? O supermercado voltou a olhar para o mercado de viagens? Conversando com seu cliente você verá que também pode ajudá-lo com outras vendas e serviços, e cobrar por isso. Desde agendar flores para uma data em que ele estará ausente, intermediar o cuidado do pet do cliente durante sua ausência, fazer as comprar para quando ele chegar no destino já ter o que comer na casa alugada, cuidar do aluguel do carro dele na própria cidade onde mora, gerenciar suas milhas, fazer reservas das mais variadas (incluindo serviços não ligados diretamente à viagem)… O cliente está na sua frente cheio de necessidade. Atenda o máximo que puder. Para isso, tenha uma boa rede de fornecedores desses “novos” produtos e serviços e, claro, conheça bem e ganhe a confiança do seu passageiro.

7 – Aposte nos nichos.
Sim, os casais e famílias são a sua prioridade. Talvez alguns grupos e eventos. Mas e os nichos? E a diversidade dentro do nicho de casais e famílias? E as viagens técnicas? O bem-estar, o esporte, o agronegócio, o luxo, o Turismo religioso, os parques naturais, o ecoturismo, as pousadas de luxo, os roteiros culturais, as viagens gastronômicas, entre outras? Viagens com propósito vão estar mais em evidência na retomada.

8 – Quanto mais difícil melhor…
Aluguel mensal de carro? Como vendo isso? Intercâmbio? Hum, tem um emaranhado de requisitos. Viagens de animais? Quais as regras? Se você acha complicado, seu passageiro muito mais. Para ele viajar com segurança, especialize-se.

9 – Alie-se.
Não fique falando sozinho. Esteja em uma associação que o represente, como Abav, Aviesp, Abracorp, Avirrp, ou grupos organizados, com voz para falar com fornecedores, governo e demais players. Só reclamar e protestar em redes sociais ou, pior, grupos de WhastApp, não tem o efeito desejado. Fuja do discurso de ódio e de quem só quer tumultuar. Representatividade é muito importante para uma classe. Dividir sempre é bom para o outro lado. Quem te representa? Quem está ao seu lado na luta do dia a dia e nas maiores? Estude, pesquise, reflita e escolha. Viagem solo é tendência, mas só para suas vendas, não para seu posicionamento no setor.

10 – Relaxe e aproveite.

Aproveite não apenas o seu dia, mas as conquistas passo a passo. O Turismo vai retornar, diferente, mas forte. E você é parte fundamental desse movimento. Também renovado, revigorado, com dores e cicatrizes, mas uma peça-chave para a retomada. Viaje para conhecer novos lugares, rever destinos do coração e como estão na reabertura e para renovar as energias. Quem vende viagens também é viajante, também tem sonhos, também precisa de bem-estar, contato com a natureza, relaxamento, estar com a família e os amigos, estar nos locais preferidos e ser mimado. Então, desfrute. E, uma vez mais, parabéns pelo seu dia.

Tem mais dicas para a retomada? Contribua para que os agentes de viagens tenham mais conhecimento, empoderamento e competividade. Deixe aqui nos comentários suas sugestões ou envie para redacao@panrotas.com.br.

Precisando de um orçamento?
Preencha o formulário abaixo ou entre em contato conosco.

Agende agora o seu serviço.

Escolha uma opção de contato abaixo,
e faça o seu agendamento.

Entre em contato